Capa » Notícias » Voto dos portugueses é “uma arma na mão”, diz Marcelo no Luxemburgo

Voto dos portugueses é “uma arma na mão”, diz Marcelo no Luxemburgo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, repetiu hoje o apelo aos emigrantes portugueses no Luxemburgo para participarem na vida política, considerando que o voto é “uma arma que têm na mão”.

“Vocês têm um peso muito grande e têm uma arma na mão, que é o voto”, disse o Presidente, apelando a que haja também mais candidatos da comunidade portuguesa às eleições locais.

“Parte-me o coração não podermos ter outro peso em termos de poder local”, afirmou, na sessão de encerramento da quarta edição dos Diálogos com a Comunidade, acrescentando: “Mas façam também o favor de votar em Portugal”.

De resto, no final deste encontro para debater os problemas dos portugueses no estrangeiro, Marcelo deixou mesmo uma ‘ameaça’: “Se eu descubro que são só três portugueses a inscrever-se, não sei o que vos hei de fazer da próxima vez que cá vier; zango-me com vocês a sério”.

Já na reta final da sua visita ao Luxemburgo, o Presidente deixou mesmo uma meta, esperando o recenseamento de, pelo menos, mais 10 mil portugueses para além dos 17 mil já registados.

Durante toda a visita de Estado ao Luxemburgo, que terminou na quarta-feira, Marcelo apelou várias vezes à participação política dos portugueses que, segundo dirigentes da comunidade, é de apenas 10%.

Segundo dados oficiais, residem no Luxemburgo cerca de 100 mil portugueses, o que representa 16,4% da população deste país.

O Presidente prossegue hoje a visita ao Luxemburgo, mas já a título privado, para contactos com a comunidade portuguesa e para participar na 50ª peregrinação de Nossa Senhora de Fátima em Wiltz, a cerca de 65 quilómetros da cidade do Luxemburgo.

Ainda em Wiltz, o Presidente visita o Liceu do Norte, para um encontro com a comunidade portuguesa e onde atua o cantor português David Carreira, a convite de Marcelo.

Marcelo Rebelo de Sousa realizou na terça e na quarta-feira uma visita de Estado ao Luxemburgo, a sétima desde que tomou posse, depois de Moçambique, Suíça e Cuba, em 2016, de Cabo Verde e Senegal, em abril, e Croácia, na semana passada.

O Presidente parte ao fim do dia para Madrid, onde vai inaugurar, juntamente com os reis de Espanha, a Feira do Livro, que este ano tem Portugal como país convidado.

 

VM/MBA // FPA

Lusa/Fim