Capa » Notícias » Comunidades » PSD recomenda ao Governo alargamento do Programa de Ação Cultural Externa à diáspora

PSD recomenda ao Governo alargamento do Programa de Ação Cultural Externa à diáspora

Deputados do Partido Social-Democrata (PSD) recomendaram hoje ao Governo, através de um projeto de resolução, o alargamento Programa de Ação Cultural Externa às comunidades portuguesas no estrangeiro.

“O Governo lançou há mais de um ano o programa de Ação Cultural Externa com o objetivo de divulgar no exterior os mais variados aspetos da nossa cultura, envolvendo meios de diversas fontes, com destaque para os Ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Cultura”, referiu o projeto de resolução do PSD, ao qual a Lusa teve acesso.

Segundo o documento, o programa de Ação Cultural Externa é “uma interessante medida, que tem, porém, uma grave falha uma vez que não contempla as comunidades no exterior no contexto da sua ação”.

Assim, o projeto de resolução do PSD recomendou ao Governo “a divulgação dos novos valores da cultura portuguesa e da atual realidade do Portugal moderno”.

Também recomendou o desenvolvimento de uma programação articulada entre o Programa de Ação Cultural Externa e o Programa Internacionalizar, que contemple especificamente os cidadãos nacionais residentes no estrangeiro e as respetivas organizações comunitárias.

O projeto de resolução também indicou a necessidade da identificação de incentivos ao associativismo cultural português no exterior, privilegiando as entidades que mobilizem maior número de lusodescendentes.

“A definição de um quadro de apoios regulares aos órgãos de comunicação social em Língua Portuguesa que existem nas mais diversas comunidades, garantindo a sua articulação com a comunicação social portuguesa, particularmente a imprensa regional”, foi outra das sugestões do PSD.

Os deputados sociais-democratas recomendaram ainda a preservação dos aspetos mais tradicionais da cultura portuguesa junto das novas gerações das comunidades e a criação de uma rede de artistas e criadores culturais na diáspora.

“O contributo da nossa diáspora para o desenvolvimento nacional, a sua dimensão sociocultural e a sua ligação a setores muito diversificados da nossa cultura, que apoiam e promovem de forma muito significativa, justificariam plenamente a sua inclusão em tal programa”, indica o projeto de resolução.

Segundo os deputados, é “muito evidente que existem inequívocas vantagens no desenvolvimento de parcerias entre entidades culturais nacionais e as que desenvolvem a sua ação ao nível de cada comunidade portuguesa no estrangeiro (…)”.

O projeto do PSD sublinhou ainda que não há diplomacia económica sem diplomacia cultural e que os empresários na diáspora são um elemento fundamental para a promoção económica de Portugal.

“Importa, assim, dar continuidade a ações já desenvolvidas no passado que já visavam este mesmo objetivo, garantindo, agora, com mais meios e com uma melhor estruturação, a promoção de ações que efetivamente divulguem os nossos valores culturais a nível internacional”, refere.

CSR // VM

Lusa/Fim