Capa » Notícias » Comunidades » Canadá desafia comunidade portuguesa a fazer de acordo comercial “um êxito”

Canadá desafia comunidade portuguesa a fazer de acordo comercial “um êxito”

Um ministro canadiano lançou hoje um desafio à comunidade portuguesa para que aproveite o acordo de comércio livre UE-Canadá e faça do tratado um “verdadeiro sucesso”.

“Esta é mais uma oportunidade de ouro para a comunidade portuguesa de se juntar, de aumentar o desafio, aproveitar a oportunidade e de fazer deste acordo comercial um verdadeiro sucesso”, disse à agência Lusa, na quarta-feira, em Toronto, o ministro do Comércio Internacional canadiano, François-Philippe Champagne.

O ministro falava no bairro de Davenport, o maior círculo eleitoral no Canadá onde residem portugueses e lusodescendentes, após um encontro com três dezenas de empresários brasileiros também residentes no país da América do Norte.

O governante afirmou pretender que esse sucesso “não seja só em termos nacionais, mas também localmente, no Ontário, em Toronto e em Davenport”, pois “há que aproveitar o momento”.

O acordo de comércio livre entre a União Europeia e o Canadá, CETA, deverá começar a ser aplicado provisoriamente a partir de 21 de setembro.

“Para a comunidade portuguesa, esta é uma boa notícia. Com as taxas de alfândega livres de impostos, os canadianos poderão exportar para Portugal. O comércio está relacionado com as pessoas”, acrescentou François-Philippe Champagne, sublinhando que no Canadá e em Davenport existe “uma grande comunidade portuguesa que é forte e diversa”.

O CETA foi assinado no final de outubro do ano passado e está dividido em 13 capítulos. Bruxelas e Otava avaliaram o impacto anual do acordo em 12 mil milhões de euros para a UE, com 508 milhões de habitantes, e em oito mil milhões de euros para o Canadá, que tem 35 milhões de habitantes.

“O Canadá, a partir do dia 21 de setembro, terá acesso preferencial ao mercado da União Europeia. Nove mil tarifas vão ser reduzidas a zero. Queremos assegurar que as nossas empresas possam exportar para a Europa. Isto está relacionado com preços mais acessíveis e mais escolhas, para assegurar e criar oportunidades para a classe média, nomeadamente os trabalhadores”, declarou.

No próximo domingo, a deputada federal Julie Dzerowicz, eleita por Davenport, desloca-se a Portugal, onde durante um mês, vai reunir-se com diversos políticos e empresários portugueses, para tentar aumentar o “número de exportações”, na perspetiva das “pequenas e médias empresas”.

“Vou reunir com alguns presidentes de câmaras municipais, com diversos grupos financeiros de investimento. Estão todos muito animados com o final de setembro, para tentar construir um relacionamento mais forte nas exportações na perspetivas das pequenas e médias empresas e do empreendedorismo”, frisou a deputada.

Julie Dzerowicz sublinhou que, com a visita a Portugal, estará a “construir relações mais fortes entre ambos os países”.

Oficialmente, 429 mil portugueses e lusodescendentes residem no Canadá, de acordo com o Censo de 2011.

Várias estimativas apontam para cerca de 550 mil residentes portugueses ou lusodescendentes, estando a grande maioria na província do Ontário. Entre 60% a 70% deverão ser oriundos dos Açores.

 

SEYM // EJ

Lusa/Fim